SP registra seis mortes por febre amarela no início de 2019

Segundo Secretaria de Saúde, estado tem 12 casos confirmados da doença e 32 em investigação. Dados foram divulgados no mês de Janeiro de 2019.


A região concentra os 12 casos confirmados de febre amarela neste ano, dos quais seis evoluíram para óbitos.


Dos confirmados, 83,3% das vítimas são homens, com idade média de 45 anos e trabalhadores rurais - perfil tradicional registrado no país, aponta o governo estadual.

Todos os paulistas devem se vacinar contra a febre amarela, caso ainda não estejam imunizados. Moradores de qualquer região de São Paulo precisam se prevenir contra a doença, sobretudo aqueles que residem ou visitam áreas com vegetação densa.A vacina, que está disponível na rotina dos postos da rede pública de saúde, deve ser tomada dez dias antes de viagens e/ou deslocamentos a áreas de mata para proteção efetiva.A vacina é indicada para pessoas a partir dos 9 meses de idade.


A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vetores.



Como a transmissão urbana da febre amarela só é possível através da picada de mosquitos Aedes aegypti, a prevenção da doença deve ser feita evitando sua disseminação. Os mosquitos criam-se na água e proliferam-se dentro dos domicílios e suas adjacências. Qualquer recipiente como caixas d'água, latas e pneus contendo água limpa são ambientes ideais para que a fêmea do mosquito ponha seus ovos, de onde nascerão larvas que, após desenvolverem-se na água, se tornarão novos mosquitos. Portanto, deve-se evitar o acúmulo de água parada em recipientes destampados.

Fonte: G1 e Fiocruz

0 visualização

Vigilância Sanitária nº CEVS 350850403-812-000001-1-6

  • Brevis Ambiental
  • Brevis Ambiental

Rua Colômbia, 71, Jardim Caçapava

Caçapava/SP

CEP 12.286-080

© Todos os direitos Reservados. Desenvolvido por 3d Comunicação e Marketing